CPI dos Atos Antidemocráticos na Câmara Legislativa do DF


A CPI dos Atos Antidemocráticos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deve ouvir mais três pessoas e encerrar a fase de depoimentos no dia 16 de novembro, conforme informou o presidente da Comissão, Chico Vigilante (PT). Nesta quinta-feira (19) seria ouvido o major Cláudio Mendes dos Santos, mas ele faltou alegando questões de saúde. 

Continua após publicidade

O major Cláudio é apontado como um dos líderes dos acampamentos em frente ao QG do Exército em Brasília. De acordo com as informações prestadas à CPI, ele vai cumprir três dias de atestado e seu comparecimento foi reagendado, assim como o depoimento do coronel Reginaldo Leitão (diretor do Centro de Inteligência da PMDF) que também alegou problemas de saúde.

Leia também: Relatório da CPMI do 8 de Janeiro é aprovado sob gritos de 'sem anistia'

Com as alterações ficou agendada para o dia 26 de outubro a oitiva de Saulo Moura da Cunha, diretor adjunto da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O depoimento do major Cláudio ficou para o dia 9 de novembro e do coronel Reginaldo Leitão para o dia 16 de novembro – último dia de oitivas. 

O relator da CPI dos Atos Antidemocráticos, deputado Hermeto (MDB), pediu uma reunião fechada apenas com os membros titulares da Comissão para o dia 30 de outubro para apresentação do arcabouço do seu relatório. Participaram da reunião os deputados Chico Vigilantes, Hermeto, Fábio Félix (PSOL), Jaqueline Silva (MDB) , Robério Negreiros (PSD), Joaquim Roriz Neto (PL) e Pastor Daniel de Castro (PP).

CMPI do Congresso

O relatório final da senadora Eliziane Gama (PSD-MA) foi aprovado nesta quarta-feira (18), na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga os atos golpistas foi aprovado por 20 votos a 11. O documento traz uma lista com dezenas de sugestões de indiciamento ao Ministério Público e à Polícia Federal, com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e da cúpula da segurança pública no DF.

Dentre os nomes do Distrito Federal estão o do ex-secretário de Segurança Pública Anderson Torres e dos ex-comandantes da PMDF Fábio Augusto Vieira e Klepter Rosa Gonçalves. Também constam na lista de indiciamento dos coronéis da PMDF Paulo José Ferreira de Sousa Bezerra, Marcelo Casimiro Vasconcelos Rodrigues, Jorge Eduardo Naime e os major Flávio Silvestre de Alencar e Rafael Pereira Martins. 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) é citado no documento, que pede o "aprofundamento das investigações" contra o chefe do Executivo do DF. A CPMI do Congresso ainda indiciou George Washington de Oliveira Sousa, Alan Diego dos Santos e Wellington Macedo de Souza, todos condenados por envolvimento na tentativa de atentado ao Aeroporto de Brasília.

 :: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato DF no seu Whatsapp ::

Fonte: BdF Distrito Federal

Edição: Márcia Silva

Relacionadas

  • Hacker diz que delação de Mauro Cid vai confirmar plano de Bolsonaro contra urnas

  • Em depoimento na CPI do DF, general indicado pela gestão Bolsonaro no GSI nega sabotagem

  • Mauro Cid se nega a responder perguntas na CPI dos Atos Antidemocráticos do Distrito Federal

Outras notícias

  • Advogada alvo da Operação Lesa Pátria se entrega à PF em Brasília

  • Hacker Walter Delgatti diz que Bolsonaro pediu para ele assumir grampos contra Alexandre de Moraes

  • Sem provas, bolsonaristas acusam fotógrafo da Reuters de ter sido contratado para fazer 'ensaio' do 8 de janeiro